Wisting é um detective de homicídios que se vê envolvido numa estranha história que, ao que tudo indica, foi um assalto que correu mal e que se tornou num homicídio. Numa casa de férias no meio da neve, foi encontrado um corpo com a cara tapada, posteriormente encaminhado para autópsia e que acabou por desaparecer no caminho. Ao mesmo tempo, cada vez mais pássaros aparecem mortos na zona. Enquanto Wisting persegue a verdade, vê-se envolvido numa teia de acontecimentos cada vez mais complexa.

Considero os policiais nórdicos muito competentes - conseguem criar ambientes frios (literais ou não) e cenários completamente fora da caixa decorrentes de investigações complexas mas que decorrem de forma natural. Este é um dos mais fracos que li.

Foi o primeiro livro do autor publicado em Portugal mas a saga do detective Wisting já era longa. No entanto, percebe-se perfeitamente o seu passado e todos os contextos - é capaz de ser a parte mais positiva. Outro ponto positivo é o facto de o autor ter sido ele próprio polícia, o que confere uma autenticidade natural à narrativa. No entanto, deixa pouca margem à imaginação - os processos, as buscas, a recolha de informações são mais metódicas e descritivas do que surpreendentes.

Senti falta dos elementos surpresa que considero fundamentais em investigações policiais, e de haver poucos acontecimentos dignos de registo em todo o livro. Só dou nota positiva porque cheguei até ao fim. A custo.

Fechada Para o Inverno
De: Jørn Lier Horst
Ano: 2013
Editora: Dom Quixote
Páginas: 352

A nossa pontuação: ★★★☆☆
Disponível no site Wook.
Sou produto da geração Vitinho. Nascida nos anos 80, cresci com ele e ficou-me marcado na memória. Numa altura em que só havia dois canais de televisão, é normal que a minha geração se lembre do boneco com carinho.

José Maria Pimentel, o designer que o criou, nunca imaginou a repercussão que o Vitinho viria a ter, quando foi inicialmente pensado apenas para viver numa publicidade. Aproveitando agora que a geração Vitinho está na fase de criar família, o designer, que já lançou uma colecção de livros para crianças, vai lançar também um volume maior para os pais. No fundo, serão estes os maiores promotores do boneco que marcou a televisão nos anos 80. Será uma antologia de 30 anos de Vitinho.

Agora, os graúdos também podem dormir mais descansados :) Saiba mais aqui.


Neste quiz vai poder associar um nome às caras de alguns dos escritores mais famosos do mundo. O meu resultado não é motivo de orgulho mas também não está mal: 65% de respostas correctas.

Divirta-se!


É ou não verdade, caríssimos leitores? 😁


Malena Valcárcel é uma artista espanhola que trabalha com papel de livros velhos. Estes ganham uma nova vida através das suas mãos completamente mágicas, com novas formas de beleza inegável. Aqui ficam alguns trabalhos da artista, e podem consultar aqui o seu portefólio.












Todos temos dias assim... Valham-nos os livros!
Jake Whyte é uma mulher a fugir de um passado turbulento que agora mora sozinha e isolada numa quinta junto a uma pequena comunidade numa ilha britânica. A sua única companhia é o cão, Dog, e as suas ovelhas. Ela é uma mulher forte que não se deixa intimidar por nenhum homem, até começar a ver ameaças em todo o lado. As ovelhas aparecem mortas e estropiadas, começa a ouvir barulhos estranhos e a ver pessoas junto à sua propriedade.
 
Criei altas expectativas ao ler a contracapa deste livro. Parecia um thriller decente com uma história fora do comum. E lá fora do comum é ele, mas demasiado. Tanto, que não consegui seguir ali nenhuma linha de raciocínio sem desviar a atenção para outra coisa qualquer. Não me consegui prender minimamente à narrativa. Quase nunca abandono um livro, mas desta vez teve de ser - à página 60.

A premissa é apelativa mas a autora perde-se numa trama que salta no tempo - não tenho nada contra saltos temporais, mas tem de ser bem feito. Se estivermos constantemente a ficar confusos, tanto no tempo da acção, como na relação dos elementos, ou simplesmente não percebemos o que se está a passar, a leitura começa a ser cansativa e deixa de ser um prazer.

Já vi críticas muito boas e muito más - não existe um consenso na opinião e provavelmente irá agradar a muitos vocês - mas quando, em 60 páginas, a coisa mais interessante que acontece é a morte duma ovelha, começa-se a perder a esperança de que vá tornar-se numa boa leitura. Não convenceu.

Todos os Pássaros do Céu
De: Evie Wyld
Ano: 2013
Editora: Jacarandá
Páginas: 224

A nossa pontuação: ★☆☆☆
Disponível no site Wook.
Paris Gibson tem um programa de rádio nocturno, para onde os ouvintes ligam para conversar um pouco e pedir músicas da sua preferência. Uma noite, Paris recebe o telefone de um ouvinte habitual, mas desta vez ele tem um comportamento estranho e revela que raptou uma rapariga, que mantém cativa.

Sem saber se leva o telefonema a sério ou não (foram muitos malucos a ligar ao longo dos anos), o instinto de Paris diz-lhe que há qualquer coisa na voz de Valentino, como se identifica, de tenebroso e verdadeiro. Como tal, chama a polícia, e aí começa a investigação que compõe o livro.

No telefonema, Valentino diz que irá matar a rapariga, depois de se servir sexualmente dela, após 72 horas, e é com esse prazo em vista que a polícia trabalha em colaboração com Paris (que continuará a receber os telefonemas do raptor nas noites seguintes). Sem saber bem para onde se virar, a polícia terá de desenterrar o passado da locutora e investigar as pessoas que lhe são próximas, o que irá revelar segredos obscuros e baralhar as contas da investigação.

É um daqueles livros que toma um rumo, que nos convence de uma coisa, e que depois nos surpreende com um resultado diferente. O que é bom - ninguém gosta de desfechos demasiado previsíveis - mas considero haver alguma "palha" para "encher chouriços" ao longo de toda a história. No entanto, é um bom policial que nunca baixa o ritmo e que nos deixa curiosos até ao fim. A escrita de Sandra Brown é simples, sem artifícios e sem rodeios.

Uma Voz na Noite
De: Sandra Brown
Ano: 2006
Editora: Quinta Essência
Páginas: 450

A nossa pontuação: ★★★☆☆
Disponível no site Wook.
Por vezes dizem que me perdem quando passo por uma livraria... Agora já sabem porquê. Sigam as instruções! E aprendam que não há remédio para isso :P



A trama passa-se na aldeia alentejana de Cousa Vã, paredes meias com Espanha. Manolo é um homem simples cuja vida anda nas bocas das gentes da taberna e nas ruas parcas da aldeia, pois a sua mulher, Maria, desaparece às sextas. O boato de que Manolo é encornado espalha-se mais depressa que a verdade - que o leitor vai descobrindo com prazer.

Manolo e Maria acabam por se tornar um exemplo do que é o amor e de como deve ser a vida a dois. O casal alentejano contra o mundo, ignorando as bocas, explorando novos terrenos, enfrentando com desprezo o pensar dos outros e vivendo experiências de causar inveja sem necessidade de as bradar a toda a gente.

Com a linguagem simples e rude do Alentejo é-nos contada a história deste casal, que se revela bela e ternurenta, e de outros habitantes da aldeia. É o caso de Beto, com a mania que é político influente; ou de Alfredo, que ganha a vida na venda e revenda de artigos de origem duvidosa e que acumula dívidas; Tonho, dono da taberna, e que tarde mas consistentemente desperta para a homosexualidade, ao mesmo tempo que a sua esposa desperta para um sexo portentoso com outros homens.

Tudo flui de forma muito natural nesta narrativa, prendendo-nos na vida cheia de pequenas vitórias e derrotas deste povo, que reprensentam um país inteiro. Todos temos estas simplicidades dentro de nós e este livro ajuda-nos a descobri-las. A escrita de João Rebocho Pais é uma bela surpresa que nos entra por todos os poros para de lá nunca mais sair. Desarma-nos e deixa-nos sem defesa para o que aí vem. Totalmente recomendado.

O Intrínseco de Manolo
De: João Rebocho Pais
Editora: Teorema
Ano: 2012
Editora: 176

A nossa pontuação: ★★★★☆
Disponível no site Wook.